Castelo Fraco - O que você quer na Igreja?



“Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará; porque Deus, o Pai, o confirmou com o seu selo. ”      
João 6.27


            Uma multidão. Segundo o texto paralelo de Mateus 14.21, cerca de 5 mil homens, exceto mulheres e crianças, seguiram Jesus Cristo quando ele saiu em um barco para um local deserto devido o assassinato do seu primo João Batista pelo rei Herodes. Ao ver aquela multidão, Jesus compadeceu-se, os curou e alimentou.
Naquele local deserto, estavam presentes:

1. Jesus Cristo
2. 12 Discípulos (apóstolos)
3. Uma multidão

Esta passagem chama a minha atenção para uma quantidade enorme de pessoas que saíram de suas cidades a pé, para ir ao encontro de Cristo. O motivo deste êxodo em massa das cidades é explicado por Jesus em João 6.26, onde Ele diz: “... vós me procurais, não porque viste sinais, mas porque comestes dos pães e vos fartastes”.  Haviam, portanto, 2 grupos de pessoas presentes naquele momento da multiplicação dos pães e peixes:


1. A multidão de pessoas que estavam ali por causa das curas e posteriormente por           causa dos pães e peixes.
2. Os 12 discípulos que estavam presentes porque foram chamados por Cristo.

Este pequeno grupo de 12, representa a igreja; eles aceitaram o chamado de Cristo e o seguiram para serem pescadores de homens. Decidiram antes buscar o abençoador do que as bênçãos propriamente ditas. É triste ver que muitos homens e mulheres buscam longe de suas casas, diversas denominações que prometem cura, despacho, quebra de maldição hereditária, objetos ungidos, campanhas de milagres e etc. Deus se compadece destes (Mt 14.14), e realiza os prodígios. A alegria do desejo realizado faz a multidão cantarolar a vitória que tem sabor de mel; porém o evangelho não nos chamou para sermos estrelas, mas para sermos fiéis; nem me chamou para ser um destaque no palco, mas para o filho de Adão morrer.

            Ao ouvir a mensagem do evangelho pura e verdadeira da parte de Cristo, “muitos dos seus discípulos voltaram atrás, e não andaram mais com Ele” (Jo 6.66). Este é o grupo da multidão ambiciosa que buscam a benção, mas não querem o abençoador. Esta multidão que lotam as igrejas dos (falsos) Apóstolos Modernos e Teólogos da Prosperidade, se alimentam das heresias mais esdrúxulas, e aplaudem o evangelho antropocêntrico (aquele que o homem é o centro). Uma assembléia bíblica e Cristocêntrica (Cristo sendo o centro) não serve para este grupo, e seus partícipes acabam sendo apelidados de frios, fariseus e julgadores.

Ao passar pela peneira da palavra de Cristo, só aquele pequeno grupo permaneceu com Jesus, pois eles foram chamados para pertencer à noiva do cordeiro e herdar do Pai a vida eterna, e não para serem estrelas prósperas aqui na terra.
Perfeita, a igreja não é. Na verdade a igreja nunca foi perfeita, pois ela é composta de pecadores, e mesmo neste pequeno grupo que continuou com Cristo, um O traiu.

Nós queremos saúde, prosperidade, paz e conforto. Mas será que hoje somos capazes de dizer que “ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no Deus da minha salvação”? (Hb 3.17,18).

De qual grupo você faz parte? Da grande multidão ou da pequena igreja?


Mas buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Jesus Cristo – Mateus 6.33


Julio Celestino

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images