Cuidado! Você não pode Errar...



Você já parou para pensar que até mesmo a música secular tem seu facho de luz? Ainda que o objetivo principal da letra não seja glorificar ao único Deus, elas podem conter pequenas lições que levam seus ouvintes a refletirem sobre algumas dificuldades da vida.


“Examinai tudo. Retende o bem." - Apóstolo Paulo


Certo homem de periferia vivia com prudência e tinha o respeito dos que estavam ao seu redor. Costumava jogar bola com os amigos, tinha uma namorada e sempre andava arrumado na medida do possível. Certo dia ele começou a se envolver com alguns rapazes de poder aquisitivo mais alto e então passou a viver uma vida totalmente diferente da que estava vivendo. Mergulhado noutros costumes, gastou tudo que tinha com festas, bebidas e mulheres da vida. No fim das contas este homem tornou-se um mendigo, um pedinte, sequer sua dignidade lhe restou.

Essa história narrada na música Capítulo 4, versículo 3 do grupo Racionais Mc’s expõe uma realidade presente na vida de milhões de brasileiros. Ela fala daqueles homens que não tem a opção de errar demasiadamente nas decisões da vida, pois isto seria suicídio! O recado que foi dado por esta história é que os jovens que moram nas periferias precisam ter mais cuidado com as decisões e atitudes que venham a tomar durante sua trajetória, porque em sua grande maioria são filhos de pais carentes, que lutam a vida inteira apenas para ter onde morar, o que comer e o que vestir.

Ao ouvir o trecho em que este personagem vive com prudência, podemos interpretar que ele tinha tudo o que precisava para viver com dignidade. Porém este começou a se envolver com os que a música chama de “branquinhos do shopping”, ou seja, os de poder aquisitivo mais alto, também conhecidos popularmente como playboys.  A partir de então sua vida foi um desastre total, perdeu tudo, chegou ao fundo do poço.


Então, o que deu errado?

            É importante refletir sobre a vida dentro e fora da favela, a vida na escassez e a vida de fartura. É notável que os jovens brasileiros que não tem uma vida cristã tendem a se aventurar em seus desejos mergulhando em tudo que é agradável à carne. Porém, os resultados de quando um “playboy” resolve extravasar em festas, drogas e sexo são totalmente diferentes do que na vida de um jovem carente. Geralmente nas favelas, os chamados “playboys” são aqueles que seus pais ou responsáveis têm certo poder aquisitivo mesmo que estejam longe de serem ricos como o Silvio Santos. Afinal para quem não tem nada, pouco é muita coisa.

Quando um playboy entra para o mundo extravagante de festas, drogas e sexo, ao perder tudo que tem, ainda tem a sorte de terem responsáveis com condições de sustenta-los pagando uma clínica de reabilitação, curso profissionalizante, faculdade, casa, comida, roupa lavada e quem sabe coloca-los para trabalhar no empreendimento da família visando que este dê a volta por cima.

Por outro lado, quando um jovem mais humilde resolve entrar nesta vida, acaba caminhando para sua própria morte. Um jovem de família carente deve pensar mil vezes antes de experimentar drogas, um milhão de vezes antes de gastar seu salário com bebidas, festas e sexo demasiadamente, e um bilhão de vezes antes de largar os estudos. Diferentemente dos “branquinhos do shopping” dos Racionais, este não tem um pai concursado, advogado ou empresário. Não há ninguém por ele quando chegar ao fundo do poço, ninguém para sustenta-lo e incentiva-lo com cursos e clínicas de recuperação a fim de que levante e sacuda a poeira. Para manter uma vida de ostentação, o jovem favelado precisa de dinheiro, e para muitos a única saída é o crime.

Sabemos que é possível chegar ao objetivo da prosperidade através da honestidade, porém é um processo demorado, que requer trabalho, dedicação, renúncia e por vezes humilhação temporária. Esta é a porta estreita da vida, e o crime é uma das portas largas e espaçosas que conduzem a perdição, e muitos são os que entram por elas.

A desigualdade social existe e é dura com as pessoas! Infelizmente não é possível individualmente mudarmos este quadro, transformando o mundo numa utopia onde todos são prósperos. Até mesmo o Senhor Jesus Cristo afirmou que na presente era os pobres sempre vão existir (Jo 12.8). Porém, é possível amenizar as intempéries da vida tomando decisões sábias. O mundo nos oferece tantas coisas, mas não devemos aceitar, pois tudo é ilusão, não vale a pena trocar uma eternidade de alegria por aquilo que ele dá. A tão sonhada prosperidade seguida de paz acontecerá aqui na terra sim, quando o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo descer do céu com sua igreja glorificada para estabelecer o seu reino milenar (Ap 20.4-6), mas até lá é necessário vigilância e prudência em todos os caminhos.

Talvez você pense que todas as esperanças se acabaram e por algum motivo pensa em se entregar a este mundo de horror, seja para procurar e encontrar algum prazer ou seja por desgosto. Mas eu quero lhe dizer que existe um Deus no céu que te ama e que quer o teu melhor, mas é necessário um esforço da sua parte. Resista ao dia mal, trabalhe, seja honesto, entregue seus caminhos ao Senhor e acredite Ele cuidará de ti e que Ele tem poder para te levar onde você quer chegar. Mas para isso é preciso acreditar e resistir.

Não podemos abrir brechas para Satanás entrar na nossa vida através do produto do outdoor e das ilusões da mídia corrompida, porque é desta forma que ele tem andado ao nosso derredor bramando como um leão procurando a quem possa tragar.

A música supracitada é direcionada ao povo sofrido das periferias brasileiras, e com relação a advertência de procurar evitar o erro quando se é de família carente, eu assino em baixo. Não estou dizendo que o rico pode errar, apenas estou reafirmando que quando o único copo d’água está na mão, o cuidado para não tropeçar nas areias do deserto deve ser redobrado, porque na maioria das vezes não sabemos onde está ou como chegar no manancial.


Nota: a música comentada no texto é um rap nacional com suas peculiaridades. Tal trecho muito me ensinou durante minha adolescência e juventude quando afastado de Deus. Caso você seja um religioso de ouvidos sensíveis, não precisa procura-la e ouvi-la. O que é exaltado nesta reflexão é o princípio contido neste improvável “facho de luz” do assunto tratado.

Julio Celestino
17 de maio de 2019, Vitória, Espírito Santo.

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images